quinta-feira, 14 de outubro de 2004

EFEITO COLATERAL

...tá um frio danado aqui fora, deu hoje no rádio que ia fazer menos quinze a essa hora, abre essa porta, por favor, chovendo muito, eu sei que a cama tá quente, abre a porta, eu não penso só que vai melhorar, eu sei que vai melhorar, sou um otimista, a esperança é a última, senão eu nem ia mais ver jogo do Vasco, nem votava no Dinamite, viu como eu sou um homem de muita fé, abre a porta, vai, diz pra mim, você acha que eu gosto de você?, você sabe que eu gosto não sabe?, eu sei que perdi a noção da hora, joguei tudo fora, mas meus desvarios até eles são teus, minha Flor, a minha vida tá despetalada sem teu amor, meu coração é uma bagunça, mas ele também é teu, e a desordem dos meus atos, dos pensamentos, a minha conta no banco, o carro, é tudo teu, tudo que você pedir eu faço, mas deixa eu entrar, olha os vizinhos, abre essa porta, olha, eu deixo você brincar de aviãozinho, deixo você me bater, falar palavrão, deixo você me chamar do que quiser, até de Ozéia, xinga que eu mereço, ou então bato eu, te dou surra de cinto, não, não, não vai embora, volta aqui, eu tou de porre, sabe disso, tava brincando, eu não bato nunca mais, eu já tinha prometido, eu sei, nunca mais, eu faço carinho, te cubro de beijos, não tem mancha de batom nenhuma, porra, o perfume é o meu mesmo, esse fedor, não tinha mulher lá não, que coisa, já disse que era, amor, era boate, mas as moças tavam de folga hoje, lá é boate de executivo, elas trabalham de segunda a sexta-feira, folgam no sábado e no domingo, queísso, eu não acho você burra coisa nenhuma, florzinha, você é a geléia de figo do meu pão com requeijão, faço até poema pra você, meu amor, você é a oposição da minha chapa azul, as cordas do meu quarteto, a rima do meu soneto, o camarón da minha isla, eu tenho uma reunião importantíssima amanhã, e amanhã é daqui a pouco, eu preciso tomar banho e ir dormir, ai Yoyô, tenha pena de mim, eu já te disse que meus amigos tão bem casados como eu, não me levam pro mau caminho merda nenhuma, nós só fomos assistir ao jogo, a porra do time perdeu outra vez, eu não sei como o Portela ainda tem cara-de-pau de pôr o nariz na rua, aí nós fomos assistir o Milton Neves no bar e o Eurico falou tanta merda, mentiu, ele continua se confundindo com a instituição, usa o Vasco como escudo, ninguém tem nada contra o clube, tem é contra ele mesmo, e esmerdalhando meu Vasco, meu, como se fosse a privada da casa dele, todo mundo esperando o Roberto aparecer pra bater muito e retrucar as porras todas e o Dinamite nem bum!, só piff, que merda, ainda foi falar de décimo terceiro de funcionalismo e terminou de cagar a porra toda, tanta expectativa pra nada, fomos encher a cara de desespero, tanta decepção junta, que horror isso, e terminamos na Termas, não não não não não, é boate, foi um lapso, boate, b-o-a-t-e, abre essa porta que eu vou pegar uma pneumonia, tou com dor até nos ossos, não é possível que você não esteja sentindo a minha falta também, impossível que só eu esteja cheio de saudade, praticamente nem te vi esse fim-de-semana, vai me dizer que também chegou agora, é isso, não é, como eu sou idiota, você só tá querendo ganhar tempo, você também tava na orgia, galinha, tem outro homem aí dentro, abre essa porta agora, eu já entendi, você tava era fudendo até agora, mal me viu sair e trouxe outro puto pra dentro de casa, sua vagabunda abre essa porta, quem é o safado, eu vou contar até três e botar essa merda abaixo, foda-se a polícia chama a puta da tua mãe também, deixa eu colocar as mãos no teu pescoço, eu vou contar até três, um, três!, vem aqui agora, merda de tapete, ai, bati o queixo no degrau, putaquepariu, acho que eu quebrei a mandíbula, volta aqui, não adianta trancar o quarto que eu derrubo essa também, tou cansado das tuas merdas, vem aqui, eu tou mandando, chama os vizinhos, chama a rádio patrulha, a defesa civil, chama quem você quiser, você não tem saída, eu já te saquei piranha, vou chutar essa porta até ela cair também, não adianta procurar a 45, pode botar o armário todo pra fora porque ela tá comigo, abre, eu sei que tem um babaca aí dentro, manda ele pular então, ou eu ou os dez metros daqui lá embaixo na pirambeira, você não queria casa no morro com vista, vai é ter a vista do rabo dele despencando lá embaixo, manda ele pular, é um, e três!, cadê ele o safado, hein, que é que você tá fazendo aí no parapeito, não, péra aí, desce, tá bem, tá bem, docinho, eu já vi que não tem ninguém, puta merda, desce por favor, eu não vou encostar um dedo em você, eu prometo, Santa Rita há de me ajudar, não chora, segura, segura, não chora assim, tudo bem, eu fico aqui, não chego mais perto não, fico aqui, aqui perto da porta, mas pelamordedeus, meu amor, eu não vou te bater, eu juro, desce, você vai cair, porra será que você não tá vendo, cacete, desce, cuidado, segura, segura, Mariiiiiaaaaaaaaaaaaaaa!!!

Nenhum comentário:

Loading...